Deputado José Ricardo denuncia no MPF extração ilegal de madeiras na região do rio Urupadi, município de Maués

Na última quinta-feira (5) o deputado José Ricardo (PT/AM) recebeu denúncia de comunitários de que madeireiros, com a presença da Polícia Militar e Meio Ambiente, cerca de 40 homens, estariam derrubando e transportando madeiras pelo ramal do Rio Maués-Mirim em direção ao Rio Urupadi, localidades do município de Maués. Diante de mais esse fato que pode estar contribuindo ainda mais com a devastação da Amazônia, o parlamentar enviou nesta sexta-feira (6) ofício ao Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) solicitando que o órgão investigue se essa extração de madeira é ilegal ou não, uma vez que já houve a assinatura de um Termo de Compromisso, para o evitar o crime ambiental nessa região.

No dia 16 de agosto do ano passado, José Ricardo protocolizou no MPF uma representação oriunda de denúncias das comunidades atingidas pela extração ilegal de madeiras na região do rio Urupadi. Essa denúncia foi acatada pelo órgão, resultando numa ação interinstitucional que resultou na assinatura de um termo de compromisso.

Porém, no último 27 de agosto, os moradores daquela região denunciaram que os madeireiros estavam novamente atuando no rio Maués-Mirim e que o povo estava com muito medo de represália, pois estavam sendo ameaçados por aqueles que possivelmente praticavam extração ilegal de madeira. E agora, a ação dos madeireiros continuam na localidade. “É alarmante o índice de desmatamento no Brasil no governo Bolsonaro. E o Amazonas é um dos mais atingidos. Isso precisa mudar. O desmatamento e as queimadas têm consequências graves para toda população, além de mortes de animais, fim de nascente de rios, terras áridas e degradação de comunidades tradicionais ribeirinhas e indígenas. É preciso que haja uma investigação apurada sobre essas denúncias”, disse José Ricardo afirmando que continuará acompanhando o caso e cobrando medidas cabíveis.

Ver documento > Ofício MPF

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*