Diretos Humanos

Invasão e morte indígena no Amapá

A terra indígena dos Waiãpi, no Amapá, foi invadida possivelmente por um grupo de garimpeiros e o líder indígena, Emyra Waiãpi, de 68 anos, foi assassinado. A Funai diz que é real a presença de invasores no local e que continua o clima de tensão e exaltação na região. O Ministério Público Federal do Amapá e a Polícia Federal estão investigando.

Já o presidente disse que, “até o momento, não teve indício forte de que a liderança indígena tenha sido assassinada”. Não é surpresa esse tipo de declaração de Bolsonaro, que incentiva as invasões de terras indígenas para a extração de minérios, gerando violência e mortes. O direito desses povos é negado por esse Governo, que está desmontando a Funai e se declara contra as demarcações. É um novo extermínio contra os povos indígenas!

A resistência já começou. Manifestações de rua aconteceram em estados, como Roraima, Amazonas e agora Amapá, mas declarações de indignação contra a retirada de direitos e contra as mortes de indígenas vêm de todas as partes do Brasil e do mundo. Vem muito mais pela frente. Por ora, temos que cobrar a identificação e a punição dos culpados pela invasão a essa terra indígena e morte do líder dos Waiãpi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *