Corrupção

José Ricardo volta a cobrar a instalação da CPI das Obras para investigar irregularidades nas obras do Estado

O deputado José Ricardo (PT) voltou a cobrar nesta terça-feira (28) a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras para investigar as denúncias feitas pelo ex-secretário de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Gilberto de Deus, de que havia esquema de fraudes nos pagamentos de projetos/contratos entre a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e empresas para realização de “obras fantasmas” no Amazonas. Ele ainda cobrou a aprovação de requerimento protocolizado no último dia 9, juntamente com o deputado Luiz Castro (Rede), para ouvir o ex-gestor em plenário, a fim de apresentar provas sobre essas irregularidades. Isso porque Gilberto de Deus respondeu ao convite da Comissão Direitos Humanos, Cidadania e Legislação Participativa da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), que pretendia ouvi-lo no dia de hoje (28), dizendo que, mais uma vez, não viria ao parlamento.

A justificativa do ex-secretário é de que “não queria ser ouvido apenas por alguns deputados, no que poderia entender que estaria atendendo os interesses de algum político”. Para o deputado José Ricardo, é preciso esclarecer esse que parece ter sido o maior assalto ao erário estadual. “Lamento que o ex-gestor tenha esse posicionamento. Não sei o que ele quer. Porque a Comissão de Direitos Humanos, assim como as outras comissões, tem prerrogativas para ouvir gestores na área específica. Vamos insistir para que a Mesa Diretora coloque o requerimento que ainda tenho, junto com Luiz Castro, em tramitação na Casa, para que possamos ouvir Gilberto de Deus em plenário. Mas ainda cobro a instalação da CPI das Obras, faltam só três assinaturas, e tem prerrogativas de convocação”.

A CPI das Obras, proposta em 2015, contava com cinco assinaturas: José Ricardo (um dos autores), Luiz Castro (Rede) e Vicente Lopes, Alessandra Campêlo e Wanderley Dallas, todos na época do PMDB. O documento precisa de mais três adesões, já que é necessária a assinatura de um terço dos deputados (8) para ser aceito na Aleam.

Desde 2015, o ex-secretário da Seinfra denuncia muitas irregularidades no Estado. Em um levantamento que fez na época, ele diz ter constatado pagamentos de obras não realizadas; contratação de empresas para fazer projetos básicos e executivos a custos elevadíssimos para apresentarem “projetos montados”; e pagamento por serviços de fiscalização de obras desnecessários. Na época, José Ricardo solicitou a presença do ex-secretário em Audiência Pública na Comissão de Direitos Humanos, para falar sobre essas denúncias. Mas, ele também enviou carta ao parlamentar informando que não viria ao debate, porque os componentes dessa Comissão eram opositores ao Governo e não queria ser acusado de estar a serviço de qualquer político.

Recentemente, Gilberto de Deus foi ouvido em depoimento pelos promotores do Ministério Público do Estado (MPE) que estão atuando na Operação Concreto Armado, onde foi presa a ex-secretária de Obras, numa investigação de desvios de mais de R$ 40 milhões. À Assembleia, ele agora solicitava que nessa Audiência Pública fossem convidados o atual governador, os senadores, deputados federais e os prefeitos dos municípios do Amazonas.

Assessoria de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *