Opinião do deputado federal José Ricardo (PT/AM) sobre a omissão do Governo Federal quanto ao desmonte das estruturas do meio ambiente e de proteção e fiscalização.

“A CPT (Comissão Pastoral da Terra), um organismo ligado à CNBB, lançou recentemente uma publicação falando sobre os conflitos agrários e do campo que ocorreram no ano de 2018. O Amazonas teve 45 conflitos registrados, envolvendo mais de 30 mil pessoas, lamentavelmente. Vinte e oito municípios tiveram registros de conflitos agrários e problemas relacionados à questão da água. Nós estamos falando de quase 50% dos municípios do Estado. Mas, quando a gente vai verificar nível de Brasil, a Região Amazônica concentra mais de 56% dos conflitos de terra que foram registrados. Em relação aos registros de assassinatos, dos 28 que aconteceram no campo em todo o Brasil, 24 eram na Amazônia Legal. Das 28 tentativas de homicídio, 17 estavam na Região Amazônica. E, das 165 ameaças de morte, 121 delas também na nossa região. Estamos falando muito sobre a Amazônia, sobre as queimadas. Segundo o INPE, o desmatamento triplicou na Região Amazônia. Até o mês de agosto, foram registrados 30.190 focos de queimadas. E agora recente a líder do Governo no Congresso Nacional, Joice Halssemann (PSL), esteve no Amazonas para ver as queimadas. Só que ela se dirigiu para o Município de Tefé, onde não tá tendo focos de queimadas. Deveria ter visitado as áreas afetadas, que se concentram no Sul do Estado. Aliás, o Norte era chamado do Arco do Desmatamento e das queimadas, que vai do Acre, passa por Rondônia e também pelo Sul do Amazonas, Norte do Mato Grosso e Sudeste do Pará. Queimadas desenfreadas, estimuladas pela omissão do Governo Bolsonaro. Inclusive, nessa região de Tefé, eles tiraram o Ibama. Não tem mais fiscalização naquela região. Aí não é questão de queimadas, de ocupações irregulares, de pesca predatória prejudicando milhares de famílias de ribeirinhos e também de indígenas. Portanto, temos que levar a sério essa questão. O Governo não pode se omitir. Estamos falando do prejuízo à população e ao país. Portanto, nossa denúncia e nosso questionamento quanto ao desmonte das estruturas do meio ambiente de proteção e de fiscalização por parte do Governo Federal”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*